quarta-feira, 4 de abril de 2012

Balus



Michael Balus, imigrante
Michael Balus - Auswanderer von Deuselbach nach Brasilien

Sepultura do imigrante Michael Balus (ou Georg Miguel Balus, conforme lápide) no Cemitério Evangélico de Picada Santa Rita, em Estrela.  Nascido em Burtscheid, em 19.10.1804, Michael era filho de Johann Dietrich Balus e Anna Christina Klein. Emigrou de Deuselbach em 1828 juntamente com Friedrich Zang e Johann Dietrich Keuper. Foi passageiro do trimastro "Olbers", que aportou no Rio de Janeiro em 17.12.1828. Michael Balus serviu no 28 BC e depois viajou para o Sul a bordo do costeiro "Orestes", em cuja lista de passageiros figura como criado da família de Johann Keuper, mas sendo registrado separadamente por Hillebrand. Chegou em S. Leopoldo em 18.3.1829.
Ainda no mesmo ano, em 22.11, casou com a também imigrante Anna Dorothea Kemmet, viúva de Martin Bogner, e estabeleceu-se como colono na “Schwabenschneis” (atual Travessâo, entre Hamburgo Velho e Dois Irmãos). O casal teve três filhos. Descendentes migraram mais tarde para o Vale do Taquari. Michael Balus faleceu em 8.07.1890 na Picada Santa Rita, em Estrela, aos 85 anos. Na lápide consta que *22.12.1807.
A região em que os antepassados Balus viveram na Alemanha situa-se hoje no Landkreis Bernkastel-Wittlich, Estado de Rheinland Pfalz, e integra a chamada "Verbandsgemeinde Thalfang und Erbeskopf", composta entre outras pelas localidades de Burtscheid, Hilscheid, Etgert, Deuselbach e Immert.
Nos registros originários da Alemanha o sobrenome Balus é grafado com um "l". No Brasil, há casos de grafia com dois "l" e também variantes como "Bales" e "Balles".  O sobrenome deriva de Paulus/Baulus e aparece pela primeira vez em meados do século XVII.

Nenhum comentário:

Postar um comentário